UFPa: e os gestores que deram um golpe nas regras?

As regras prevêem que as sucessões nos Institutos devem dar-se no segundo semestre de 2009, ou seja, já sob o mandato do novo reitor. Acontece que existiram dirigentes que se anteciparam e realizaram suas sucessões ainda no primeiro semestre de 2009, e lógico, foram renomedos, pelo ex-reitor já sem legitimidade para tal. Este casuismo demonstra como o micro-poder é uma cachaça. Daí entendermos a psicologia dos grupos que não querem abrir mão da máquina, mesmo que ela seja a UFPa. Penso que o CONSUN deveria reestabelecer as regras do jogo. Mas o desgaste seria grande...já imaginaram o CONSUN colocar pra fora dos cargos gestores, ilegítimos, e com senso de oportunidade? seria um espetáculo deprimente. Talvez por causa disso os caras de pau continuem nos seus carguinhos.